quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Adeus à hora da largada




Minha Mãe
         (todas as mães negras
         cujos filhos partiram)
tu me ensinaste a esperar
como esperaste nas horas difíceis

Mas a vida
matou em mim essa mística esperança

Eu já não espero
sou aquele por quem se espera

Sou eu minha Mãe
a esperança somos nós
os teus filhos
partidos para uma fé que alimenta a vida

Hoje
somos as crianças nuas das sanzalas do mato
os garotos sem escola a jogar a bola de trapos
nos areais ao meio-dia
somos nós mesmos
os contratados a queimar vidas nos cafezais
os homens negros ignorantes
que devem respeitar o homem branco
e temer o rico
somos os teus filhos
dos bairros de pretos
além aonde não chega a luz elétrica
os homens bêbedos a cair
abandonados ao ritmo dum batuque de morte
teus filhos
com fome
com sede
com vergonha de te chamarmos Mãe
com medo de atravessar as ruas
com medo dos homens
nós mesmos

Amanhã
entoaremos hinos à liberdade
quando comemorarmos
a data da abolição desta escravatura

Nós vamos em busca de luz
os teus filhos Mãe
         (todas as mães negras
         cujos filhos partiram)
Vão em busca de vida.

                   (da obra Sagrada esperança, de Agostinho Neto)

domingo, 25 de setembro de 2011

Os X-Men e a questão racial

Os X-Men são um grupo de mutantes que juraram defender a humanidade que os teme e os odeia por serem diferentes.

Há muito tempo penso em escrever sobre o assunto e finalmente resolvi fazê-lo. Pra quem curte quadrinhos isso talvez não seja novidade nenhuma, então me perdoem se por acaso eu soar repetitivo. 
Enfim, assistindo X-Men: First Class (X-Men: Primeira Classe, em português), filme que mostra a origem do grupo de mutantes, pessoas com alguma mutação genética que lhes confere poderes extraordinários, mas que, ao mesmo tempo, provoca o ódio e o temor das pessoas "comuns", é bem mais fácil perceber os embates ideológicos entre o professor Charles Xavier, líder do que viria a ser os X-Men, e Eric Lensherr, o Magneto, que seria o antagonista da história. 
As ideias de Xavier são semelhantes às do pastor evangélico e líder dos movimentos por igualdade de direitos civis nos Estados Unidos durante a década de 1960, Martin Luther King Jr. Ambos defendiam o princípio da coexistência pacífica, seja entre humanos e mutantes na ficção, seja entre brancos e Negros na vida real. Xavier e Luther King acreditavam que não se poderia alcançar a igualdade de direitos e a paz, se usássemos a mesma tática daqueles que nos oprimiam: a violência. 
Já Magneto se assemelha muito a Malcolm X, ainda que de maneira meio caricatural. Magneto é mal compreendido por muita gente, que o lê como vilão. O pequeno Eric Lensherr teve seus pais assassinados pelos nazistas durante a II Guerra Mundial, o que o levou a ter ódio pela humanidade e jurar vingança a todos que o fizeram sofrer, pregando a união dos mutantes contra a humanidade, pois, em sua visão, todos os humanos, independentemente de sua nacionalidade ou posicionamento político, sempre desejaram dominar ou exterminar os mutantes. 
Enquanto Xavier (esq.) desejava a coexistência pacífica entre humanos e mutantes, Magneto pregava a  luta pelos direitos mutantes através do uso da força.


O pai de Malcolm X foi brutalmente assassinado quando ele tinha 6 anos de idade. Passou a juventude em orfanatos ou cometendo pequenos delitos, até que teve sua vida mudada após ser preso. Ao sair da prisão e  ter contato com o islamismo, ele se tornou um dos principais líderes pelos direitos das populações negras. Mas, ao contrário de Martin Luther King, Malcolm X pregava a separação total entre Negros e brancos, a resistência armada e o famoso "combater fogo com fogo", pois não seria possível uma convivência interracial sem conflitos, depois de tantos séculos de opressão racista contra os Negros em diversas partes do mundo.
X-Men: Primeira Classe é o filme mais maduro da franquia, o que mais se aproxima dos quadrinhos e da ideia original de Stan Lee e Steve Ditko, que criaram os X-Men em 1963 e aprimoraram durante a década de 1970, época em que estes e outros movimentos sociais estavam eclodindo. É onde Magneto e Xavier expõem pela primeira vez seus pontos de vista, que os farão seguir por caminhos opostos, apesar de, no fundo, ambos desejarem a mesma coisa: acabar com as diferenças de condições entre humanos e mutantes, na metáfora perfeita para se pensar os vários caminhos que nos levam a lutar pela igualdade étnicorracial. Com qual dos dois você se identifica?

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Caixa tira do ar propaganda que retrata Machado de Assis como branco

A Caixa Economica Federal suspendeu a veiculação de uma campanha publicitária sobre os 150 anos do banco que retrata o escritor Machado de Assis como um homem branco. A decisão veio após protestos na Internet e um pedido formal da Seppir (Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial), órgão do governo federal com status de ministério.

O comercial criado pela agência Borghierh/Lowe viaja no tempo para mostrar que até os "imortais" foram correntistas do banco público. O problema é que o ator que representa o fundador da Academia Brasileira de Letras e autor de "Memórias Póstumas de Brás Cubas" é branco, sendo que o escritor era mulato.
Na nota oficial em que anuncia a interrupção da propaganda, a Caixa "pede desculpas a toda a população e, em especial, aos movimentos ligados às causas raciais, por não ter caracterizado o escritor, que era afro-brasileiro, com a sua origem racial".
Nesta segunda-feira, também em comunicado oficial, a Seppir classificou como "uma solução publicitária de todo inadequada" a escolha de um ator branco para interpretar Machado, por "contribuir para a invisibilização dos afro-brasileiros, distorcendo evidências pessoais e coletivas relevantes para a compreensão da personalidade literária de Machado de Assis, de sua obra e seu contexto histórico".
Além de pedir a suspensão do anúncio, a Seppir encaminhou pedidos de providências ao Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária), a Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República e o Ministério Público Federal.

Foto de Machado de Assis, que foi interpretado por ator branco em comercial da Caixa

Leia abaixo a íntegra do comunicado da Caixa:

A Caixa Econômica F ederal informa que suspendeu a veiculação de sua última peça publicitária, a qual teve como personagem o escritor Machado de Assis. O banco pede desculpas a toda a população e, em especial, aos movimentos ligados às causas raciais, por não ter caracterizado o escritor, que era afro-brasileiro, com a sua origem racial.
A CAIXA reafirma que, nos seus 150 anos de existência, sempre buscou retratar, em suas peças publicitárias, toda a diversidade racial que caracteriza o nosso país. Esta política pode ser reconhecida em muitas das ações de comunicação, algumas realizadas em parceria e com o apoio dos movimentos sociais e da Secretaria de Política e Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR) do Governo Federal.
A CAIXA nasceu coma missão de ser o banco de todos, e jamais fez distinção entre pobres, ricos, brancos, negros, índios, homens, mulheres, jovens, idosos ou qualquer outra diferença social ou racial.


Link do comercial no YouTube:
http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=-uV3ASr_sQg

Fonte: Última Instância/UOL




segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Ícones Negros: Peter Tosh


Peter Tosh nasceu Winston Hubert McIntosh, em 19 de outubro de 1944, na pequena cidade jamaicana de Westernmost, mas cresceu na capital Kingston. Fez parte do supergrupo de Reggae The Wailers, que contava também com seus amigos Bob Marley e Bunny Wailer.
Ao contrário de Bob Marley, que tinha um estilo pacificador, Peter Tosh era um militante de personalidade forte e polêmica, apesar de ambos pertencerem à religião Rastafari.
Em 1973, Tosh sofre um grave acidente de carro que lhe deixa com lesões cerebrais e vitimou sua namorada. No ano seguinte, após se recuperar, ele e Bunny Wailer deixam o The Wailers, por divergências com o presidente de sua gravadora. Seguindo em carreira solo, o single Legalize it se transforma no maior sucesso da música jamaicana, apesar de ter sido proibida de tocar nas rádios, devido à sua apologia ao uso de maconha. Equal Rights também ficou muito famosa e o título já diz tudo.
Em 11 de setembro de 1987, aos 42 anos, Peter Tosh teve sua casa invadida por três homens armados, que numa suposta tentativa de assalto, o assassinaram a tiros. Com uma vida marcada por confusões e por sua militância pelos direitos civis das populações negras, será que seu assassinato foi meramente por acaso?
Abaixo, segue sua versão de Johhny B. Goode, música de Chuck Berry, que inclusive, já teve versão em português interpretada pelo Cidade Negra.

Dedicado a meu irmão Tonhão Tosh, que me sugeriu o tema. 







Johnny B. GoodePeter Tosh
Deep down in Jamaica, close to Mandeville
Back up in the woods, on top of a hill
There stood an old hut made of earth and wood
Where lived a country boy named Johnny B. Goode
He never learned to read or write so well
But he could play his guitar like ringin' a bell yell

Said go, go Johnny!
Johnny be good tonight!
Said go, go Johnny!
Johnny B. Goode...

He used to carry his guitar in a gunny sack
Sit beneath a tree in the railroad track
Old engineer in the train sittin' in the shade
Strummin' with the rhythm that the drivers made
People passing by would stop and say:
"Oh my, oh my, what the boy can play"

Said go, go Johnny!
Johnny be good tonight!
Said go, go Johnny!
Johnny B. Goode...

Mama said: "Son, you gotta be a man,
You got to be the leader of a reggae band
People comin' in from miles around
To hear you play until the sun goes down
Boy, someday your name will be in the lights
Sayin' JOHNNY - JOHNNY B. GOODE TONITE"

I said go, go Johnny!
Johnny be good tonight!
Said go, go Johnny!
Johnny you better be good

Said go, go Johnny!
Johnny be good tonight!
Go, go Johnny!
Johnny B. Goode...


Johnny B. GoodePeter Tosh Revisar tradução
Bem no sul da Jamaica, perto de Mandeville
Em meio a uma floresta entre árvores sempre verdes
Ficava uma velha cabana feita de terra e madeira
Onde vivia um caipira chamado Johnny B. Goode
Que nunca havia aprendido a ler ou escrever muito bem
Mas sabia tocar violão como se tocasse uma campainha

Disse vai, vai, Johnny!
Johnny B. Goode essa noite!
Vai Johnny, vai, vai, vai
Johnny B. Goode...

Ele costumava carregar seu violão num saco de pano
E ia sentar-se debaixo de uma árvore perto dos trilhos da ferrovia
Os engenheiros o viam sentado na sombra
Tocando acompanhando o ritmo que os motoristas faziam
As pessoas que passavam paravam e diziam
"Nossa, como esse caipirinha sabe tocar"

Disse vai, vai, Johnny!
Johnny B. Goode essa noite!
Vai Johnny, vai, vai, vai
Johnny B. Goode...

Sua mãe disse a ele "um dia você será um homem
E será o líder de uma grande banda
Muitas pessoas virão de milhas de distância
Para ouvi-lo tocar sua música até o sol se pôr
Talvez um dia seu nome estará em letreiros luminosos
Dizendo 'Johnny B. Goode' hoje à noite

Disse vai, vai, Johnny!
Johnny B. Goode essa noite!
Vai Johnny, vai, vai, vai
Johnny B. Goode...

Disse vai, vai, Johnny!
Johnny B. Goode essa noite!
Vai Johnny, vai, vai, vai
Johnny B. Goode...

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Saudades da Capoeira

Mestre Roque, da Academia de Capoeira Ogunjá

Bom, hoje é sexta-feira, tá anoitecendo no momento em que eu escrevo e de repente bateu uma saudade louca da minha academia de Capoeira, a Ogunjá, em Santo Antonio de Jesus, cidade do Recôncavo da Bahia, onde morei por mais ou menos 6 anos, enquanto estudava.
As aulas acontecem as segundas e quartas e, tradicionalmente, às sextas-feiras acontecem as rodas, onde todo mundo joga. Pode ser tanto no espaço da academia quanto em alguma das praças da cidade. É nessa hora que a gente vê o quanto tá aprendendo de verdade e é um momento de descontração, apesar de ser tão sério quanto as aulas.
Lá pude aprender a valorizar ainda mais coisas como o respeito à ancestralidade e a transmissão de conhecimentos através dos bons exemplos e das regras de conduta. Ouvir o Mestre falando depois das aulas e das rodas era um dos melhores momentos pra mim. Ele, que já tem uma certa idade, sempre passava suas experiências e teve uma dose extra de paciência comigo, que cheguei sem saber nada mas sempre me dediquei a aprender tudo.
(In)felizmente meus estudos acabaram, e eu tive que voltar pra Salvador. Às vezes nossas obrigações cotidianas do mundo capitalista nos afastam das pessoas e das atividades que gostamos, mas elas nunca saem de nosso coração. Dedico a música a seguir ao meu Mestre de Capoeira Roque dos Anjos e a todo mundo na Academia de Capoeira Ogunjá. Desculpem meu egoísmo falando de algo tão particular, mas é que realmente sinto falta do meu lugar.


Às Vezes Me Chamam De Negro


Às vezes me chamam de negro
Pensando que vão me humilhar
Mas o que eles não sabem
É que só me fazem lembrar
Que eu venho daquela raça
Que lutou pra se libertar

Que eu venho daquela raça
Que lutou pra se libertar

Que criou o Maculelê
Que acredita no Candomblé
Que tem o sorriso no rosto
A ginga no corpo e o Samba no pé

Que tem o sorriso no rosto
A ginga no corpo e o Samba no pé

Que fez surgir de uma dança
Uma luta que pode matar
Capoeira, arma poderosa
Luta de libertação
Brancos e negros na roda
Se abraçam como irmãos

Camarada o que é meu
É meu irmão
Meu irmão do coracão
É meu irmão

terça-feira, 13 de setembro de 2011

A mulher mais bonita do mundo é NEGRA!

A angolana Leila Lopes foi consagrada Miss Universo 2011

Nem sei por onde eu começo...
Eu poderia começar falando sobre o racismo histórico iniciado na Europa e que se espalhou pelo mundo como um vírus, que tenta convencer as pessoas de que existe uma "superioridade" física, intelectual ou biológica das populações brancas sobre as negras, ou dos europeus sobre os africanos. Poderia falar sobre os comerciais de TV, as novelas e os blocos de carnaval de Salvador, uma das cidades mais negras do mundo, que acham que "gente bonita" é sinônimo de gente branca.
Mas deixa isso pra depois. Como a própria Leila disse momentos após vencer o concurso, quando questionada sobre o racismo que existe no Brasil, "acho que pessoas preconceituosas é que precisam procurar ajuda, porque não é normal, em pleno século XXI, alguém ainda pensar dessa forma."
Leila Lopes, de 25 anos, nascida em Angola, foi coroada Miss Universo 2011, vencendo a Miss Ucrânia e a controversa Miss Brasil. Eu não assisti o concurso, mas a agitação nas redes sociais e até por aqui pela rua foram tão grandes que acabei mudando pra Band e, qual não foi minha grata surpresa quando vi a Miss Angola vencer um concurso de beleza, onde o padrão hegemônico estava em evidência. Claro que as outras eram bonitas também. Isso é inquestionável. O que convém dizer é que beleza não tem cor nem lugar específico pra surgir e foi muito bom ver a reação do público brasileiro torcendo por ela.

A Miss Angola desfilando pela 1ª vez como Miss Universo

Leila não é a primeira negra a vencer o Miss Universo, mas é um feito raro nestes 60 anos de concurso. Dentre as 4 africanas que já venceram, Leila, junto com Mpule Kwelagobe, Miss Botsuana de 1999, são as únicas representantes negras do continente.
Uma mulher NEGRA e linda, que não precisou se transformar em nenhuma loira de "olho azul" pra se impor no palco, embora houvesse várias dessas por lá, viu, Rodrigo Lombardi?
Em tempo: Quem diria há 50 ou 100 anos atrás que, ao mesmo tempo, o homem mais poderoso (Barack Obama) e a mulher mais bonita do mundo (Leila Lopes) seriam negros e de origem africana?
Serão esses os ventos da mudança? A realização do sonho de Martin Luther King? Ou eu é que estou sendo otimista demais?
Não sei de nada. Só sei que Leila é linda e eu tô apaixonado...


sábado, 10 de setembro de 2011

Em busca da flor, além




Porque procuras o Sol
no infinito

irei contigo às estrelas
à procura do Sol

Porque sentes o aroma da flor
no cimo da montanha
irei contigo além
em busca da flor

Porque vives na noite
de um dia para nascer
esperarei contigo
pela vinda da aurora

Porque morres sozinho
sonhando
viverei contigo
na morte pela vida


*Domingos Florentino é o pseudônimo utilizado por Marcolino Moco, importante político angolano.




Sonho, de amor - Domingos Florentino



O meu sonho
e uma madeixa dos teus cabelos
sufocada ao luar de uma noite
cansada de amor

O meu sonho
somos nós, tu e eu
no corcel da vida
à procura do sol

Falo do sonho, amor
do nosso sonho
em que brincamos com crianças não paridas
com esperanças sangrando desesperanças

O meu sonho
és tu, Minda-a-Mulata
sonhando com a vida e morrendo
em tempo de fome farta
e a guerra a acabar
(ou a reatar?)

O meu sonho
é sonho de mar
as ondas indo e vindo
do fim do Mundo
as aves a voar

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

"O Olho Azul" de Rodrigo Lombardi

O ator Rodrigo Lombardi deu declarações racistas na final da "Dança dos Famosos"


Como eu não sou de assistir esses programas (nem da Globo nem de outras emissoras, com todo respeito aos que gostam), levei um certo tempo pra ver e ouvir as barbaridades que o ator Rodrigo Lombardi, o "Herculano Quintanilha" da novela O Astro falou na final da "Dança dos Famosos" do programa do Faustão, no domingo passado. O ator, ao se referir a um dos seus "ídolos" desde a época de criança, Sammy Davis Jr., o classificou como um "negro, caolho de 1,50m..." mas que de tão bom que era, "saía do palco loiro, 2 metros de altura e de olho azul". 
Pior do que a declaração infeliz de Lombardi, é a naturalidade com que ele fala. E mais chocante do que a transmutação do "negro caolho" em "loiro de olho azul" (será que ele só tinha um?) é perceber a passividade e até os risos da plateia.
O racismo entra nas nossas casas todos os dias sem pedir licença. Seja pela ausência de negros em papéis de destaque na TV, seja pela banalização das nossas crenças, pela violência policial, pela falta de uma educação e saúde pública gratuita de qualidade nos locais periféricos, onde infelizmente somos maioria e até através desta maneira ainda mais cruel de discriminação, a que apenas aos "loiros de olhos azuis" são permitidas as qualidades, os benefícios e os valores.
E ainda tem gente que vê atitudes como essa e dizem que "ele não fez por mal", e é justamente aí que está o problema. Foi essa "inocência" que permitiu que negros fossem escravizados por séculos, já que eram considerados "bens semoventes", "criaturas sem alma".
Como minha sábia mãe sempre diz, "de boas intenções o inferno tá cheio..."

Segue um dos links dos vários vídeos sobre o assunto que tem no YouTube. Quem tiver tempo, eu recomendo que leia os comentários das pessoas que assistiram. 


http://www.youtube.com/watch?v=F6cHTP2orZY&feature=youtu.be

terça-feira, 6 de setembro de 2011

O que você pode fazer para mudar o mundo?



Comece mudando a si mesmo. Ninguém muda o mundo se não consegue mudar a si mesmo... Cuide da saúde do Planeta. Não desperdice água, não jogue lixo no lugar errado, não maltrate os animais ou desmate as árvores. Por mais que você não queira, se nascemos no mesmo planeta, compartilhamos com ele os mesmos efeitos e consequências de sua exploração.
Seja responsável: não culpe os outros pelos seus problemas, não seja oportunista, não seja vingativo. Quem tem um pouquinho de bom senso percebe que podemos viver em harmonia, respeitando direitos e deveres.
Acredite em um mundo melhor. Coragem, Honestidade, Sinceridade, Fé, Esperança são virtudes gratuitas que dependem do seu esforço e comprometimento com sua Honra e Caráter. Não espere recompensas por estas virtudes, tenha-as por consciência de seu papel nesse processo.
Tenha humildade, faça o Bem, trabalhe. Não tenha medo de errar, com humildade se aprende, fazer o Bem atrairá o Bem para você mesmo, e trabalhando, valorizarás o suor de teu esforço para alcançar seus objetivos
Busque uma posição realista frente aos obstáculos, uma atitude positiva diante da vida... Defenda, participe, integre-se à luta pacífica pela Justiça, Paz e Amor.
Um mundo justo é pacífico, e onde há paz pode-se estar preparado para viver um grande Amor...

(Rodrigo Diniz)


Ufanisi Sempre!

sábado, 3 de setembro de 2011

Calendário Negro - Setembro

30 de setembro é dia de Xangô, Orixá do Fogo e do Trovão




04 - Promulgação da lei Euzébio de Queiroz, extinguindo o tráfico de escravos no Brasil (1850)
04 - Promulgação da Lei Eusébio de Queiroz, segunda lei contra o tráfico de escravos marcando a extinção do mesmo. (1850)
04 - Nasce em Natches (EUA), o escritor Richard Wright. (1908)
04 - Nasce o atleta olímpico Robson Caetano. (1964)



06 - É enforcado em Vassouras (RJ), o quilombola Manuel Congo. (1839)
06 - Nasce no bairro de São Cristóvão (RJ) o jogador de futebol Leônidas da Silva, o inventor do gol de bicicleta. (1913)



07 - Fundação em Salvador, Bahia, da Sociedade Abolicionista Sete de Setembro. (1884)
07 - Libertação dos Escravos em Porto Alegre. (1884)



10 - Morte do líder angolano Agostinho Neto (1979)


11 - Independência do Senegal, África (1960)




Jesse Owens


12 - Nasce nos Estados Unidos James Cleveland Owens - Jesse Owens, atleta que ganhou quatro medalhas nos jogos olímpicos de Berlim, em 1936, contrariando a ideologia ariana de Adolf Hitler. (1913)
12 - Nasce no bairro de Madureira (RJ), a cantora e compositora Leci Brandão da Silva - a sambista Leci Brandão. (1944)
12 - Nasce em Eafatá, Guiné Bissau, o líder guineense e cabo-verdiano Amilcar Cabral. (1924)
Steve Biko



12 - Morre na prisão em Pretória, África do Sul, de lesão cerebral em conseqüência de torturas, o líder sul-africano Steve Biko. (1977)
12 - Morre assassinado durante a madrugada, o cantor e compositor Winston Hubert Mc' Intosh - Peter Tosh, "O Furacão da Jamaica". (1987)
12 - Morre, aos 34 anos, vítima de desastre automobilístico, na Rodovia dos Bandeirantes, (SP), o cantor sertanejo José Henrique dos Reis, João Paulo. (1997)




Tupac Shakur


13 - Morre assassinado, aos 25 anos, o rapper Tupac Shakur, estrela do "gangsta rap". (1996)


14 - É fundado o jornal O Homem de Cor, o primeiro da imprensa negra brasileira (1833)


16 - Nasce nos Estados Unidos o guitarrista e cantor de blues Riley Bem King - B B King (1925)
16 - É executado na Líbia, o líder Omar Al Mukhtar. (1931)

16 - Fundação da Frente Negra Brasileira, maior entidade da primeira metade do século, primeiro partido político de afro-descendentes (1931)
18 - Circula o primeiro número do jornal A Voz da Raça, jornal da Frente Negra (1933)




20 - Nasce no Mali, Lamine Gueye, líder senegalês. (1891)


21 - Nasce em Gana o líder panafricanista, Nkwame N'Krumah. (1909)


22 - É criada no Rio de Janeiro a Guarda Negra formada por ex-escravos com objetivo de defender a Monarquia. (1889)
Bandeira de Mali



22 - Independência do Mali, África  (1960)

24 - Independência da Guiné-Bissau, África (1973)


26 - Nasce em Pondoland, África do Sul, Winnie Madikizela - Winnie Mandela. (1934)
26 - Morre no Mississipi (EUA), a cantora Bessie Smith - a "Imperatriz do Blues. (1937)


Ibejis 

27 - Dia consagrado aos Ibejis, espíritos de irmãos gêmeos, frequentemente associados a Cosme e Damião na religião católica.

28 - Nasce no bairro da Tijuca, Rio de Janeiro (RJ) o cantor e compositor Sebastião Rodrigues Maia - Tim Maia. (1942)
28 - Morre aos 65 anos em Los Angeles (EUA), o músico trompetista que influenciou gerações de jazzistas, Miles Davis. (1991)

29 - Nasce em São Paulo o campeão olímpico Adhemar Ferreira da Silva cinco vezes recordista mundial de salto triplo. (1927)

30 - Dia consagrado ao Orixá Xangô. KAWÓ-KABIESILÉ!


"A maior de todas as virtudes é o amor.
Neste mundo que repousa sobre a força, a tirania e a violência,
tende como missão seguir o caminho do amor;
descobrireis assim que o amor, desarmado, é a força mais poderosa do mundo."

Martin Luther King

sexta-feira, 2 de setembro de 2011