terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Ano Novo, Tattoo Nova!


Abaixo do mapa da África, que eu já tinha, tatuei, na semana passada, os Oxês de Xangô e um raio, seu elemento. Faz tempo que ela estava nos meus planos e, quando eu soube que ele seria o Orixá regente de 2018 (junto com Exú), decidi que tinha chegado a hora.
Kawó-Kabièsilè!



quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Melhor do Mundo em 1995, Weah é eleito presidente da Libéria

George Weah é o único africano a já ter recebido o prêmio de melhor jogador do mundo e agora é o primeiro atleta do futebol a se tornar presidente.
O ex-atacante George Weah, de 51 anos, fez história nesta quarta-feira ao ser eleito presidente da Libéria.
Candidato da oposição, o melhor jogador do mundo em 1995 ganhou o segundo turno do pleito contra o atual vice-presidente, Joseph Boakai, ao conseguir ganhar em 12 dos 15 condados do país do Oeste africano.
Weah já tinha ganhado no primeiro turno das eleições com 38,4% dos votos - pouco mais de 596 mil.
No Twitter, o atacante com passagens marcantes por Monaco, Paris Saint-Germain e Milan agradeceu à população.
"É com emoção profunda que eu quero agradecer a vocês, povo liberiano, por me honrarem com seus votos hoje (terça-feira). É uma grande esperança", disse.
It is with deep emotion that I want to thank you, the Liberian people, for honoring me with your vote today. It is a great hope.  
George Weah tentou ser presidente em seu país-natal já em 2005, apenas dois anos depois de ter se aposentado do futebol. Ele perdeu, porém, para Ellen Johnson Sirleaf, a primeira mulher chefe de Estado da história da África.
Em 2014, o ex-jogador se candidatou ao Senado e conseguiu ser eleito.
Na carreira, Weah ganhou uma Copa da França (1991) pelo Monaco, um Francês (1994) com o PSG, dois Italianos (1996 e 1999) pelo Milan e uma Copa da Inglaterra (2000) com o Chelsea.
Esteve três vezes na seleção ideal da Fifa (1991, 1997 e 1998) e conseguiu o título de melhor do mundo em 1995 tanto pela entidade que rege o futebol mundial quanto pela revista France Football com a tradicional Bola de Ouro.
Fonte: ESPN

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

7 Anos de Ufanisi!


 O número 7 sempre foi considerado, em diversas épocas, culturas e religiões, como um número mágico. Representa a elevação do homem sobre sua base terrestre para lançar um olhar ao desconhecido em sua busca espiritual. O sete representa a totalidade, a perfeição, a consciência, a intuição, a espiritualidade e a vontade. O sete simboliza também conclusão cíclica e renovação. Na mitologia Yorubá, é o ano da confirmação.

Hoje, este blog que começou de maneira totalmente despretensiosa, completa seu sétimo ano. Lembro que foi nesta mesma época, há um ano atrás, que descobri que seria pai do garotão da foto acima. Hoje, Hórus já tem quatro meses e, de fato, minha vida se renovou com sua chegada.

Como sempre faço, gostaria de agradecer a todas as pessoas que me incentivam a continuar com o Ufanisi!, às que me dão ideias, sugestões, às que se inspiram (e também ME inspiram) e a todo mundo que conheci ao longo dos últimos sete anos. Peguei emprestada a música que Nando Reis fez pra filha, porque define muito bem esse momento.

Nando Reis - Espatódea

Minha cor
Minha flor
Minha cara

Quarta estrela
Letras, três
Uma estrada

Não sei se o mundo é bom
Mas ele ficou melhor
Quando você chegou
E perguntou:
Tem lugar pra mim?

Espatódea
Gineceu
Cor de pólen

Sol do dia
Nuvem branca
Sem sardas

Não sei quanto o mundo é bom
Mas ele está melhor
Desde que você chegou
E explicou
O mundo pra mim

Não sei se esse mundo está são
Mas pro mundo que eu vim já não era
Meu mundo não teria razão
Se não fosse a Zoé

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

terça-feira, 14 de novembro de 2017

As definições de Mulher-Maravilha foram atualizadas!


Auto-intitulada Josie Panterona , artista de Trinidad e Tobago é uma premiada cosplayer, modelo e designer de moda, com um vasto portfólio, que transita entre animes, quadrinhos, séries, desenhos animados e videogames, entre outros. Escolhi aqui o maior ícone entre as super-heroínas para mostrar que a mulher Negra pode se fantasiar e ficar linda, usando o personagem que quiser, mesmo que ela geralmente tenha sido retratada com uma etnia diferente. Num universo com pequena representatividade Negra na cultura pop, se comparada à representação branca, as criações de Josie são um reforço a mais na autoestima das meninas Negras de várias partes do mundo.
Fontes: panterona.com e facebook.com/PanteronaCosplay





terça-feira, 7 de novembro de 2017

Sugestão de Filme: Les Bleus - Uma Outra História da França (1996 - 2016)



Documentário interessante pra analisarmos a relação entre a seleção da França e as tensões raciais entre Negros, brancos e árabes no país, no período de 20 anos, entre 1996 e 2016. 
Mostra o quanto os políticos se "apropriaram" do sucesso dos jogadores Negros ou de origem africana (como Zidane, por exemplo), mas viraram as costas, quando deixou de ser conveniente. Vai da hipocrisia da união do povo francês durante as Copas do Mundo, à "culpa" atribuída aos jogadores Negros, nos eventuais fracassos. 
Nunca foi só futebol. Racismo, intolerância religiosa, xenofobia e outras formas de preconceito estão presentes, e o futebol é só um pano de fundo. 

"Les Bleus" está disponível na Netflix.